Corretor de imóveis: por que a sua imagem pessoal vende?

Corretor de imóveis: por que a sua imagem pessoal vende?

Por Maria Luiza Salvadori de Carvalho Wolk

“Com que roupa eu vou pro samba que você me convidou?”

Há muito tempo Noel Rosa já antecipava uma preocupação que hoje também faz parte do mundo corporativo. A imagem pessoal está inserida no trabalho, sem dúvidas, e a má apresentação pode interferir na imagem do profissional e também da empresa.

É fundamental conhecer a cultura organizacional, isso demonstra respeito ao local e à marca criada. Todos temos liberdade de nos expressar através da roupa, mas somos, sim, norteados pelo bom senso.

Por isso mesmo a expressão tão recorrente “dresscode” está tão em alta, código de vestimenta que é adotado pela empresa ou corporação. Afinal de contas, representamos uma marca com valores e objetivos próprios.

Será mesmo que roupa usada por um corretor de imóveis influencia as vendas?

A apresentação geral repercute no primeiro julgamento que o cliente faz do profissional com quem ele interage. O autocuidado revela o apreço que temos com o outro.

Hoje, ouvimos muito a expressão de que, além e ser competente, é necessário parecer competente” e de um fato não podemos fugir: o julgamento faz parte da condição humana. 

Agora se buscamos ter o máximo de conversão possível, é importante causar uma ótima impressão durante as apresentações com clientes. A vestimenta não determina a venda, mas determina a avaliação que o cliente faz de qualquer profissional. Os julgamentos humanos são inevitáveis e naturais: gostar e não gostar, se impressionar bem ou mal. A forma como nos vestimos transmite quem somos, nossas crenças e nossa personalidade.

A imagem pessoal não compreende somente as roupas, há todo um conjunto visual (roupas, corte de cabelo, acessórios). A postura incrementa a imagem, assim atenção ao tom de voz, repertório vocabular, formas de andar, comportar, gesticular e interagir socialmente. E, por fim, cuidados pessoais básicos não devem ser deixados de lado ou subestimados: autocuidado com unhas, cabelos e cheiros.

Os dez primeiros segundos são fundamentais numa avaliação positiva ou negativa, portanto que imagem você quer passar: 

Elegância, seriedade, formalidade e refinamento?

Praticidade, despojamento e casualidade?

Informalidade e minimalismo?

É necessário pensar em qual história e narrativa queremos passar com nossas roupas para que não haja ruídos e dissonâncias sobre quem somos e de fato o que queremos passar para, assim,  através da nossa imagem pessoal comunicar a nossa essência e potência.

Uma imagem pessoal bem pensada e planejada comunica, invariavelmente, nossos talentos, saberes e personalidade de forma assertiva e verdadeira.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *